Como a acupuntura funciona. A sabedoria milenar e os estudos randomizados.

Tong Ze Bu Tong, Bu Tong Ze Tong.
Onde há livre fluxo, não há dor. Onde há dor, não há livre fluxo.

A concepção de saúde para Medicina Chinesa está intimamente ligada ao livre fluxo de Qi Xue pelo nosso corpo. Se possuímos uma boa circulação, temos uma boa saúde. Se não temos uma boa circulação, o corpo não tem condições de se recuperar rapidamente de doenças.

Quando agulhamos determinados pontos, estamos informando nosso corpo sobre qual parte precisa de mais atenção e reparo. A ação das agulhas quase nunca é local porque queremos reestabelecer o equilíbrio entre as partes, entre os órgãos e sistemas que nos compõe. Então, se por exemplo, estamos com uma dor lombar, é bem comum tratarmos ela agulhando nossas mãos, e às vezes também fortalecendo nosso Rim.

Existem desequilíbrios externos onde tratamos apenas olhando para os vasos envolvidos em determinado sintoma, como também existem os desequilíbrios internos, onde vamos reestabelecer a circulação para fortalecer e desestagnar os órgãos envolvidos, como por exemplo na enxaqueca, onde muitas vezes temos a relação do Fígado com o Baço comprometidas.

A circulação que parece não funcionar adequadamente em um local do corpo pode ser consequência de um desequilíbrio dos nossos órgãos internos, por isso, observamos o pulso e a língua de cada paciente, procurando maiores pistas sobre qual órgão é raiz dos sintomas que cada um nos relata.

Pode parecer estranho que, por meio de agulhas ultra finas, a saúde do nosso corpo é reestabelecida. É difícil de acreditar que pela observação do pulso da artéria radial em 3 diferentes posições (sim, em cada posição, uma a meio centímetro da outra, sentimos um pulsar diferente e específico) temos pistas sobre nossa condição interna.

Mas existe uma lógica própia, e ao enxergar o mundo, nunca só o corpo, por meio das lentes da Medicina Chinesa, tudo faz outro sentido, a percepção amplia, afina, é complexa, é simples, é cheia, é vazia, é absolutamente integrada.

Ao mesmo tempo que desfruto e mergulho na cosmologia chinesa, também é uma alegria ver a acupuntura sendo cada vez mais estudada no meio acadêmico e utilizada dentro dos grandes centros de medicina convencional.

Um exemplo disso, é uma pesquisa realizada na área emergencial de um centro hospitalar, 300 pacientes que sofriam de dores moderadas a aguda foram divididos em dois grupos, 150 pessoas receberam morfina intravenosa e 150 pessoas receberam acupuntura.

A diferença entre eles foi significativa. 92% do grupo agulhado melhorou 50% ou mais em comparação a 78% do grupo que recebeu a medicação. Dos 300 pacientes, 89 tiveram reações adversas, dos quais 85 pertenciam ao grupo que tomou a morfina, 4 deles pertenciam ao grupo que recebeu o tratamento de acupuntura.

O tempo para que a melhora da dor fosse percebida também variou entre os grupos, mas não vou contar toda a conclusão do experimento.
É difícil acreditar que acupuntura pode funcionar mais do que morfina, de fato. Mas ela é realmente uma técnica incrível.
De qualquer maneira, vou deixar os links de referência para dar mais credibilidade para o que escrevi. Dá pra ler por aqui: no PubMed, ou no American Journal of Emergency Medicine.

Apesar de alguns estudos, ainda não existe um número grande de pesquisas e evidências que façam a acupuntura ser um consenso entre os médicos e o público em geral. Ainda existe o loby farmacêutico, a falta de artigos científicos, a desintegração da vida em partes e muita descrença.

Enquanto isso, trabalhamos para divulgar a Medicina Chinesa e seguimos na luta da promoção da saúde celebrando e reconhecendo a vida potente existente dentro de cada um de nós.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s